Aleitamento materno ajuda a prevenir obesidade infantil

A obesidade infantil é um dos grandes problemas de saúde pública pediátrica e afeta cerca de 224 milhões de crianças em idade escolar no mundo.1 Já é comprovado que o aleitamento materno pode diminuir em cerca de 25% as chances de uma criança desenvolver obesidade e ter a doença ainda na vida adulta.2

Recomendado como alimento exclusivo até os seis meses de vida, o leite materno é de máxima importância na nutrição infantil e traz uma série benefícios para a saúde da criança e da mãe.3 Saiba quais são as propriedades do leite materno e o quão protetor ele pode ser.

Quais são os benefícios do aleitamento materno para a criança?

Durante a gestação e a primeira infância, os órgãos e sistemas se desenvolvem e se adaptam facilmente a estímulos bons e ruins. O aleitamento materno, por exemplo, pode ajudar a proteger contra doenças como a obesidade infantil.4 A obesidade em crianças pode gerar consequências para além da infância, com o aparecimento de diversas doenças. Sendo assim, a prevenção é fundamental desde o nascimento.3

Além de ajudar a diminuir o risco de desenvolver a obesidade infantil, o aleitamento materno auxilia na prevenção de problemas de saúde, como:3

     🗸 Diarreia;

     🗸 Infecção respiratória;

     🗸 Alergias;

     🗸 Hipertensão;

     🗸 Colesterol alto;

     🗸 Diabetes;

     🗸 Mortalidade infantil;

     🗸  Obesidade na vida adulta.3

 

O leite materno também atua em outros aspectos da vida criança...

Quais são os benefícios do aleitamento materno para a mãe?

O aleitamento materno não traz benefícios somente para a criança. Do ponto de vista da saúde da mulher, tem grande importância nas seguintes situações:3

 🗸 Proteção contra o câncer de mama - as chances podem reduzir em 4,3% a cada 12 meses de amamentação;3

 🗸 Evita nova gravidez – o aleitamento materno pode agir como um método anticoncepcional nos primeiros seis meses após o parto, com 98% de eficácia, desde que a mulher esteja amamentando exclusiva ou predominantemente e ainda não tenha menstruado.3

Como o leite materno é capaz de proteger a saúde da criança?

Composto por lipídeos, proteínas, carboidratos, vitaminas, minerais e componentes imunológicos,6 o leite materno influencia na expressão dos genes da criança, “silenciando” os genes ruins. Isso significa que o leite ajuda o organismo do bebê a melhorar a forma com que os genes são lidos, ajudando na proteção de efeitos danosos do ambiente e no bom desenvolvimento neuropsicomotor.4

Outra forma de proteção é melhorar a “leitura dos genes”. Já é comprovado que os micro RNAs (material genético) presentes no leite materno agem na formação dos órgãos, o que melhora o desenvolvimento neuropsicomotor - relacionado a habilidades motoras, linguísticas e sociais - e reduz as chances de desenvolver obesidade.4

Esses micro RNAs funcionam como uma comunicação celular entre a mãe e a criança e estão presentes em concentrações diferentes tanto no colostro, primeiro leite a ser produzido na amamentação, como no leite maduro.4

Também existe outro mecanismo do leite materno no que diz respeito à proteção do bebê. A presença da leptina, substância que controla a saciedade faz a criança aprender a parar de comer quando já está satisfeita.4

O que pode causar a obesidade infantil?

Entre as crianças acompanhadas na Atenção Primária à Saúde do SUS, 14,8% das crianças abaixo de 5 anos têm excesso de peso, enquanto em crianças de 5 a 9 anos esse percentual é de 28,1%. Dentre elas, 7% e 13,2%, respectivamente, apresentam obesidade.5

Atenção! O diagnóstico da obesidade infantil é feito com base no peso, altura, idade e sexo. A partir da classificação do Índice de Massa Corporal (IMC) por idade e cálculo do Z-Score (estatura da criança – estatura média da população referência dividido por desvio-padrão para idade e sexo), é possível avaliar do estado nutricional da criança.5

 

A obesidade é uma doença multifatorial...

No caso da obesidade infantil, a ausência do aleitamento materno pode ser mais um fator para o desenvolvimento da doença. Vale ressaltar que o leite materno deve ser a única fonte de nutrientes nos seis primeiros meses de vida da criança.1

A partir de então, é recomendado um complemento à alimentação de acordo com as necessidades nutricionais e o desenvolvimento da criança. É importante privilegiar frutas, verduras e legumes e estar atento ao tipo de gordura ingerida.7 O aleitamento materno pode ser mantido durante dois anos ou mais.1

Atenção! O excesso de alimentação durante a primeira semana de vida pode ter reflexos negativos na saúde da criança, inclusive existe o risco de ficar acima do peso já no segundo ano de vida.7

Referências: 1.Lima E. Conscientização contra a obesidade mórbida infantil. Fiocruz. https://portal.fiocruz.br/noticia/conscientizacao-contra-obesidade-morbida-infantil Acessado em 27/09/2021.  2.Koletzko B, Schaller A, Graeve L et al. Ernährungsfachtagung der DGE-BW e.V. Perinatale Programmierung Wie bestimmt die Ernährung der Schwangeren und des Kleinkindes das spätere Leben? Universität Hohenheim. https://www.dge-bw.de/files/dge-bw/uploads-files/PDFs-DGE/Dokumentationsband%20EFT%20Perinatale%20Ernaehrung%202017.pdf. Acessado em 27/09/2021.  3.Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica. Saúde da Criança: Aleitamento materno e alimentação complementar. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf. Acessado em 27/09/2021.  4.Sociedade de Pediatria de São Paulo. Efeito protetor do leite materno na prevenção da obesidade infantil. https://www.spsp.org.br/2020/09/10/efeito-protetor-do-leite-materno-na-prevencao-da-obesidade-infantil/. Acessado em 27/09/2021.  5.Saúde Brasil. Obesidade Infantil: como prevenir desde cedo. https://saudebrasil.saude.gov.br/ter-peso-saudavel/obesidade-infantil-como-prevenir-desde-cedo. Acessado em 27/09/2021.  6.Silva L. Determinantes maternos associados à composição nutricional do leite materno. Fundação Oswaldo Cruz Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira. https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/34708/2/leila_silva_iff_mest_2018.pdf. Acessado em 27/09/2021.  7.Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação - Obesidade na infância e adolescência. https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Manual_de_Obesidade_-_3a_Ed_web_compressed.pdf . Acessado em 27/09/2021.

Encontre o médico mais próximo de você.

Procure um médico

Se você tem dúvidas sobre seu peso ou IMC, busque uma orientação médica. Presencialmente ou de forma virtual, uma conversa com um médico pode ser o primeiro passo para começar a buscar mais qualidade de vida.